"Escrever é fácil: você começa com uma letra maiúscula e termina com um ponto final. No meio você coloca idéias."

- Pablo Neruda

quarta-feira, 25 de junho de 2008

O que consideramos bom, aquilo de que deveríamos gostar, não tem qualquer relação com o que é

A filosofia da natureza é uma coisa; a filosofia do valor é totalmente distinta. Confundi-las não gera senão prejuízo. O que consideramos bom, aquilo de que deveríamos gostar, não tem qualquer relação com o que é – questão esta relativa à filosofia da natureza. Por outro lado, não nos podem proibir de dar valor a isso ou àquilo pelo fato de o mundo não-humano não fazê-lo; tampouco nos podem compelir a admirar alguma coisa por ser uma “lei da natureza”. Sem dúvida somos parte da natureza, que produziu nossos desejos, esperanças e temores de acordo com leis que os cientistas estão começando a descobrir. Nesse sentido, somos parte da natureza, estamos a ela subordinados, somos conseqüências das leis naturais, e em última instância, suas vítimas.

Logo, nesse universo, somos maiores que a natureza. No mundo dos valores, a natureza em si é neutra – nem boa nem ruim, merecedora nem de admiração nem de censura. Somos nós quem criamos valor, e são nossos desejos que o conferem. Estabelecer uma vida plena cabe portanto a nós, e não à natureza – nem mesmo à natureza personificada.

2 comentários:

Anônimo disse...

"Estabelecer uma vida plena cabe portanto a nós, e não à natureza – nem mesmo à natureza personificada."

Isso msm.! Não tem mais o que fláh!.

Breno disse...

Enton meu Kerido...rsrs

Nem Li nda ainda pq hoje é quarta-feira e eu, como sempre, estou ocupado... heuheuehuee

Vim só da um Oi antes de dormir...=D

Mas no find comento sobre o conteúdo...

Abraço, boas férias!!!

PS: O Teatro da Prima da Rafa mio nhe...rsrs =P

C alguém marcar algo me avise por favor...

Fui!!!